Loading..

Tratamento da Fibromialgia – O que você precisa saber!


Tratamento da Fibromialgia – O que você precisa saber!

by fabio with 0 Comments in dezembro 6, 2016 In Category: Saúde
Share the post:

O que é fibromialgia?
Imagine uma pessoa capaz de ouvir qualquer ruido a sua volta. O menor deles, inaudível para os outros, soa nitidamente nos seus ouvidos. Agora substitua ruido por aperto, beliscão, tensão muscular e imagine uma pessoa capaz de sentir qualquer dor, algumas, que seriam imperceptíveis para os outros, são percebidas claramente por esta pessoa. Parece uma vida difícil, né? Pois esta é a vida de um paciente fibromiálgico, de maneira simplificada para melhor compreensão. Uma pessoa que desenvolve uma sensibilidade amplificada para os estímulos dolorosos, com mais receptores periféricos para dor, vias neurológicas mais preparadas para transmitir a dor, e maior área cerebral especializada em perceber a dor.
“Isso é coisa da tua cabeça!” – Frases como essa fazem parte do cotidiano de um paciente portador de fibromialgia. Em um mundo dominado por tecnologias de filmes de ficção científica, é realmente difícil compreender a existência de doenças que ainda não sejam detectadas em nenhum exame complementar, mas elas ainda existem e esta é uma delas.  Não ter um diagnóstico preciso já tendo consultado várias vezes e realizado diversos exames que não detectam nada que justifique o quadro pode ser um dos maiores problemas do paciente com fibromialgia, gerando uma situação de descrença por parte da família, amigos e até do médico assistente. Portanto, o tratamento começa com um diagnóstico claro e um bom entendimento do que significa essa doença e como ela evolui ao longo dos anos.
 Se você já tem esse diagnóstico estabelecido, aqui vão algumas informações indispensáveis:
– Você não vai morrer de fibromialgia! Esta não é uma doença que pode te tirar a vida, mas se você ignora-la por tempo demais, sem tratamento adequado, ela pode te tirar a alegria e disposição para a vida.
– Você não vai ir parar em uma cadeira de rodas devido a fibromialgia! Está não é uma doença que cause incapacidade física permanente, apesar de que em quadros avançados de fibromialgia a dor pode inibir a prática de qualquer atividade física
– Você pode viver plenamente com este diagnóstico, se tiver acesso a um tratamento adequado e completo!
Diagnóstico Diferencial
Uma vez que nenhum simples exame de sangue ou raio-X pode dizer se você tem fibromialgia, os sintomas podem ser semelhantes aos de outras condições. Muitas condições médicas podem causar dor em diferentes áreas do corpo e seu médico ainda pode querer fazer exames de sangue ou raios-X para excluir doenças que imitam a fibromialgia. As seguintes condições podem imitar fibromialgia:
– Baixos níveis de hormônios da tiróide (hipotiroidismo)
– Insuficiência de vitamina D
– Artrite
– Síndrome da fadiga crônica
– Depressão
– Síndrome do intestino irritável
– Lúpus eritematoso sistêmico
– Doença da paratireóide
– Doenças musculares, como síndrome dolorosa miofascial
– Doença óssea, como osteomielite múltipla
– cálcio arterial elevado (hipercalcemia)
– Doenças infecciosas
– Câncer
Tratamento da fibromialgia
Embora não haja nenhuma cura conhecida para a fibromialgia, o tratamento pode aliviar quase que completamente seus sintomas. Como os sintomas são diversos e variam entre os pacientes, programas de tratamento devem ser individualizados para cada paciente. Eles são mais eficazes quando combinam a educação do paciente, redução do estresse, exercício físico regular e medicamentos. Há também remédios alternativos e hábitos de vida que podem ajudar a aliviar os sintomas da fibromialgia. Em última análise, o médico fisiatra e o paciente fazem a gestão da fibromialgia em conjunto.
  • Educação
A educação é um primeiro passo importante no sentido de ajudar o paciente a entender e lidar com seus sintomas diversos. Infelizmente, nem todos os médicos estão intimamente familiarizados com as variações desta doença. Grupos de apoio de hospitais ou da comunidade podem ser recursos educacionais importantes para os pacientes e seus médicos.
  • Redução do estresse
O estresse pode desempenhar um papel muito importante no desencadeamento de sintomas da fibromialgia. Muitos pacientes com fibromialgia admitem sentir-se ansiosos, nervosos, e até mesmo em pânico durante uma crise (piora das dores e sintomas). É extremamente difícil de medir os níveis de estresse em pacientes diferentes, porque as pessoas reagem de forma diferente a determinados eventos. A redução do stress no tratamento da fibromialgia deve ser individualizadas. Isto pode incluir a modificação simples de fatores estressores em casa ou no trabalho, biofeedback, aconselhamento psicológico e terapia cognitivo-comportamental, e/ou apoio entre os membros da família, amigos e médicos.
  • Exercício
A terapia mais importante para a dor muscular é um exercício de baixo impacto, regular, de início leve e incremento gradual. Músculos condicionados e saudáveis através do exercício regular estão relacionados com uma diminuição gradual da quantidade de desconforto e dor. Exercícios aeróbicos de baixo impacto, como natação, ciclismo, caminhadas, e elípticos (“esqui cross-country”) podem ser tratamentos de fibromialgia eficazes. O exercício aeróbico associado ao exercício de reforço muscular pode apresentar melhores resultados que qualquer um dos dois isolados. O exercício estimula o corpo a criar analgésicos naturais, endorfinas, que também pode melhorar o humor. A prática regular de atividade física também promove uma melhor qualidade do sono. É altamente recomendável que um paciente elabore seu plano de exercícios em uma consulta com um médico fisiatra, preferencialmente em uma clínica de reabilitação física.
  • Dieta
Mesmo que os estudos ainda não tenham comprovado que alimentos específicos podem reduzir os sintomas da fibromialgia, alguns pacientes descobriram que eles se sentem melhor ao comer certos alimentos. Pode ser útil para os pacientes manter um diário alimentar e registrar seus sintomas depois de comer. Isto irá permitir-lhes reconhecer os alimentos que podem reduzir ou agravar os sintomas da fibromialgia ou estar relacionados a uma outra doença.
  • Medicamentos
Medicamentos são coadjuvantes no tratamento, em geral controlando em torno de 30% dos sintomas. Deve se utiliza-los com cautela, pois os pacientes fibromiágicos possuem uma tendência a apresentar mais efeitos colaterais aos remédios, a chamada hiperssensiblidade química. Como regra geral, se utiliza a mesma fórmula dos exercícios: início leve (pequenas doses), incremento gradual. É comum a necessidade de associação de medicamentos quando tratamos a fibromialgia, e não deve ser mal vista, desde que respeitando a sensibilidade, tolerância e tempo de adaptação do paciente.
Tradicionalmente, os medicamentos mais eficazes para o tratamento da fibromialgia são os antidepressivos tricíclicos, medicamentos utilizados frequentemente no tratamento da depressão. Os antidepressivos tricíclicos parecem reduzir a fadiga, aliviar dores musculares e espasmos, e promover o sono profundo e restaurador em pacientes com fibromialgia. Um exemplo é a amitriptilina.
Duloxetina e venlafaxina também são antidepressivos que tratam fibromialgia, podendo ter menos efeitos colaterais ou interações com outros remédios que a amitriptilina. Estudos têm demonstrado que a adição de fluoxetina com baixa dose de amitriptilina pode reduzir ainda mais a dor muscular, a ansiedade e a depressão em doentes com fibromialgia. A combinação também pode aumentar a eficácia na promoção de um sono reparador e melhorar uma sensação geral de bem-estar. Não existem resultados consistentes de estudos demonstrando resultado positivo para melhora da dor com o uso isolado de fluoxetina, paroxetina ou bupropiona.
Muito importante: estas medicações atuam no cérebro, portanto devem ser utilizadas APENAS com prescrição e acompanhamento médico. Consulte seu médico e não tente alterar a sua dose prescrita e NÃO INTERROMPA ABRUPTAMENTE O TRATAMENTO INDICADO.
  • Injeções locais
A dor da fibromialgia pode ser reduzida com injeções locais de lidocaína (anestésico) ou corticoesteróides (anti-inflamatórios). A medicação pode ser injectada em ombros ou nádegas, para que se espalhem no corpo ou, diretamente nas contraturas musculares, terapêutica que não demonstrou superioridade sobre o agulhamento seco (sem medicações).
  • Agulhamento Seco
O agulhamento é a terapêutica mais eficaz para o tratamento das dores das contraturas musculares e é muito comum a existência de contraturas musculares em pacientes com fibromialgia, o que torna este recurso valioso no controle deste quadro. Mesmo assim, deve ser indicado após avaliação cautelosa, visto que pode ser bastante dolorido para o quadro de sensibilização a dor do paciente e nem sempre as contraturas musculares são as responsáveis pela dor apresentada.
  • Tratamentos alternativos para a fibromialgia
Os tratamentos alternativos podem funcionar bem para alguns pacientes com fibromialgia.
Lista de Tratamentos alternativos:
     – Tai Chi: é um dos tratamentos alternativos mais estudados, já sendo recomendado frequentemente pelos médicos como opção terapêutica, devido aos bons resultados obtidos em estudos. Ótima opção para iniciar uma atividade que movimente o corpo com segurança gradualmente, também servindo para relaxamento e redução de estresse.
     – Acupuntura: pode auxiliar no tratamento da fibromialgia, porque pode alterar a química do cérebro e ajudar a aumentar a tolerância à dor. Durante o tratamento, um médico introduz uma ou mais agulhas na pele e tecidos subjacentes em pontos específicos. Torcer gentilmente ou manipular as agulhas provoca a liberação de endorfinas na corrente sanguínea.
Segundo a medicina tradicional chinesa, durante este processo, os bloqueios de energia são removidos, o que restaura o fluxo de energia ao longo dos meridianos (canais de energia específicos). A medicina ocidental não reconhece a existência dos meridianos ou destes “bloqueios de energia”, mas a técnica de acupuntura já foi bastante estudada, com resultados controversos, ora positivos, ora negativos. Recomenda-se que seja utilizada em pacientes com notada melhora clínica com o procedimento.
     – Eletro e Laser Acupuntura: Eletroacupuntura é uma outra maneira de estimular os pontos de acupuntura. Ele usa uma agulha ligada a pequenos fios ligados a correntes elétricas muito leves. Calor também pode ser utilizado durante este processo. Laser acupuntura é outra alternativa de tratamento para pacientes com fibromialgia. Durante este tratamento, os lasers de baixa intensidade são direcionados aos pontos de acupuntura com intuito de oferecer alívio para o paciente.
      – Quiropraxia: é outra alternativa de tratamento para dor da fibromialgia. Ela baseia-se na manipulação de articulações, com impulsos de alta velocidade específicos, ou múltiplos movimentos suaves de uma área e alongamentos, com o objetivo de aumentar a mobilidade articular e diminuir a dor, especialmente entre as vértebras da coluna vertebral. A quiropraxia para a coluna cervical está associada a um risco aumentado de AVC hemorrágico, portanto não deve ser a primeira opção de tratamento para dores na cervical. Está prática deve ser evitada também por pacientes com osteoporose, devido ao risco de fratura.
     – Massoterapia: Massagem terapêutica pode reduzir a tensão muscular e dor nos músculos e tecidos moles, com melhor circulação local e redução do estresse. Tem resultado de curta duração e principalmente no local da aplicação.
     – Meditação: Com a meditação, você permite que seus pensamentos façam uma pausa nas rotinas de análises diárias, com um relaxamento profundo e aumento do foco. A meditação produz ondas cerebrais compatíveis com serenidade e felicidade, que ajudam a aliviar a ansiedade. Pode auxiliar pacientes com fibromialgia a serem mais capazes de controlar e tolerar suas dores e crises. Os resultados preliminares sugerem que um programa de redução de estresse baseado em meditação é eficaz para pacientes com fibromialgia.
  • Viver com Fibromialgia
As perspectivas para pacientes com fibromialgia são geralmente muito boas. Os pacientes com uma abordagem de tratamento que envolve a compreensão melhor da doença, bem como a melhoria do sono, redução do estresse e exercício físico, tendem a melhorar.
Experimente estas dicas:
– Pratique ioga, meditação,Tai Chi ou outras atividades para reduzir o stress
– Tome notas; a dor crônica pode tornar difícil se lembrar de coisas
Exercite-se regularmente, conforme prescrição médica.
– Mantenha um diário de dieta com registro de sintomas
– Junte-se a um grupo de apoio para se conectar com as pessoas que sofrem da mesma doença
– Não fique parado: o cérebro ocupado sente menos dor!


Tags: